Ciência Viva no Verão em Rede

Durante o mês de Agosto, numa parceria com o Centro de Ciência Viva do Algarve, a Algar está a participar, no projeto Ciência Viva no Verão em Rede. Trata-se de uma iniciativa que integra mais de 800 ações de participação gratuita em todo o país, para todas as idades, que envolve os Centros Ciência Viva, instituições, Associações científicas, autarquias e empresas.

 

Este ano o destaque vai para os rios, os seus ecossistemas e os serviços que nos continuam a prestar, apesar dos enormes impactes ambientais a que estão sujeitos.

 

É o segundo ano consecutivo que o Centro de Ciência Viva do Algarve convida a Algar para participar no projeto, uma iniciativa que decorre anualmente em todo o país, entre 15 de Julho e 15 de Setembro. A Algar irá disponibilizar-se para receber visitantes na Estação de Transferência e Triagem de Faro/Loulé/Olhão.

 

Em 2017, a experiência foi extremamente positiva. Os visitantes que se inscreveram na atividade da Algar foram sobretudo famílias, em maioria provenientes de outras zonas do país. A sua motivação para participar nesta iniciativa foi a procura de respostas sobre o que acontece aos resíduos indiferenciados e aos recicláveis depois que estes são recolhidos e encaminhados para os Sistemas Multimunicipais para valorização e/ou tratamento. Alguns visitantes conciliaram o seu período de estadia em férias na região do Algarve para, em conjunto com os filhos, conhecerem o processo de tratamento dos resíduos e recolherem conteúdos informativos para os jovens utilizarem em trabalhos escolares, no ano letivo seguinte.



Fica o convite, leve a ciência na sua mala de férias. Consulte o programa da Ciência Viva no Verão em Rede e reserve as suas vagas em www.cienciaviva.pt. As visitas às instalações da Algar estão sujeitas a inscrição prévia na referida plataforma.

 

Ciência Viva no Verão em Rede

Durante o mês de Agosto, numa parceria com o Centro de Ciência Viva do Algarve, a Algar está a participar, no projeto Ciência Viva no Verão em Rede. Trata-se de uma iniciativa que integra mais de 800 ações de participação gratuita em todo o país, para todas as idades, que envolve os Centros Ciência Viva, instituições, Associações científicas, autarquias e empresas.

 

Este ano o destaque vai para os rios, os seus ecossistemas e os serviços que nos continuam a prestar, apesar dos enormes impactes ambientais a que estão sujeitos.

 

É o segundo ano consecutivo que o Centro de Ciência Viva do Algarve convida a Algar para participar no projeto, uma iniciativa que decorre anualmente em todo o país, entre 15 de Julho e 15 de Setembro. A Algar irá disponibilizar-se para receber visitantes na Estação de Transferência e Triagem de Faro/Loulé/Olhão.

 

Em 2017, a experiência foi extremamente positiva. Os visitantes que se inscreveram na atividade da Algar foram sobretudo famílias, em maioria provenientes de outras zonas do país. A sua motivação para participar nesta iniciativa foi a procura de respostas sobre o que acontece aos resíduos indiferenciados e aos recicláveis depois que estes são recolhidos e encaminhados para os Sistemas Multimunicipais para valorização e/ou tratamento. Alguns visitantes conciliaram o seu período de estadia em férias na região do Algarve para, em conjunto com os filhos, conhecerem o processo de tratamento dos resíduos e recolherem conteúdos informativos para os jovens utilizarem em trabalhos escolares, no ano letivo seguinte.



Fica o convite, leve a ciência na sua mala de férias. Consulte o programa da Ciência Viva no Verão em Rede e reserve as suas vagas em www.cienciaviva.pt. As visitas às instalações da Algar estão sujeitas a inscrição prévia na referida plataforma.

 

EcoEventos por todo o país 09/07/2018

A EGF e as 11 Concessionárias, com o apoio do POSEUR (Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos), estão a promover e a apoiar eventos sustentáveis junto dos municípios e das organizações de Norte a Sul do país. Festivais de Verão, eventos desportivos, festas e romarias são o primeiro alvo desta campanha que pretende alargar hábitos ambientais adequados em todo o lado.

 

Começou uma nova onda de inovação social. As empresas ALGAR, AMARSUL, ERSUC, RESIESTRELA, RESINORTE, RESULIMA, SULDOURO, VALNOR, VALORLIS, VALORSUL e VALORMINHO estão em força e vão intensificar esta energia até ao final do ano, em cada uma das suas áreas de intervenção, com a realização de iniciativas concretas que transformam os eventos deste ano em bons exemplos ambientais.

 

O objetivo é garantir que os organizadores assegurem a adequada gestão de resíduos produzidos nos recintos dos eventos, desde a sua prevenção, reutilização e reciclagem e sensibilizar os participantes a colaborar neste movimento coletivo. Para ajudar nesta missão, cada concessionária assegura a recolha seletiva das embalagens, os contentores/recipientes adequados a cada local, ações de sensibilização e incentivos em função da quantidade entregue.

 

 

O que é um EcoEvento

Um EcoEvento é uma iniciativa pontual, certificada por cada concessionária da EGF, que se realiza num espaço pré-definido, que tem uma duração limitada e que é um exemplo de adoção de medidas ambientais adequadas que promovem os conceitos da sustentabilidade. Os EcoEventos são apoiados com um serviço adequado de recolha seletiva adaptado à sua dimensão, sensibilização local e benefícios económicos associados à quantidade de embalagens separada corretamente.

 

 

Esta iniciativa faz parte de uma estratégia de comunicação ambiental em fase de implementação em todas as concessionárias da EGF, que alia a inovação social e o foco nos resultados, numa metodologia que obteve financiamento por parte do POSEUR. Muito em breve serão iniciados projetos de dimensão equivalente junto do comércio e serviços e dos estabelecimentos de ensino, e que na prática pretende levar a que o cidadão recicle tudo, sempre e em todo o lado.

 

Como organizar um EcoEvento

 

Em 2018 já são muitos e variados os bons exemplos de EcoEventos: Rock in Rio (Lisboa); Campeonato Mundial de Surf (Peniche); Carnaval (Loulé e Torres Vedras); Festival Sol da Caparica (Costa da Caparica); Festival Vilar de Mouros e Paredes de Coura; inúmeras festas da cidade, romarias e corridas espalhadas por todo o país.

 

Encontra mais informações no Website EGF, ou através do contacto com cada uma das concessionárias da sua área de intervenção (contactos disponíveis AQUI).

 

Poderão concorrer a esta iniciativa todos os organizadores de eventos, nos quais se incluem os municípios, as juntas de freguesia e promotores.

 

Para mais informações: Maria João Carolino | 967758321 | gci@algar.com.pt

 

Sobre a EGF

A EGF, Environmental Global Facilities, é uma empresa europeia de referência no setor ambiental e líder no tratamento e valorização de resíduos em Portugal. Reforçada pela sua integração no Grupo MOTA-ENGIL e URBASER, a EGF é sócia maioritária em 11 Concessionárias de tratamento de resíduos: Algar, Amarsul, Ersuc, Resiestrela, Resinorte, Resulima, Suldouro, Valnor, Valorlis, Valorminho e Valorsul.

Centro de Comunicação dos Oceanos 03/07/2018

A EGF e as 11 Concessionárias apoiam e participam nas palestras de intervenção do Centro de Comunicação dos Oceanos, que inicia no dia 4 de julho, pelas 16h00, na Academia de Ciências de Lisboa. A primeira sessão, moderada por Nysse Arruda (jornalista e curadora) conta com a participação da bióloga Jessica Link (Universidade de Sta. Catarina, Brasil), do Chef Luis Baena, de Ana Loureiro (Diretora de Comunicação da EGF) e de uma vídeo-entrevista exclusiva com Garret McNamara (Surfista de Ondas Gigantes).

 

As empresas ALGAR, AMARSUL, ERSUC, RESIESTRELA, RESINORTE, RESULIMA, SULDOURO, VALNOR, VALORLIS, VALORSUL e VALORMINHO, Concessionárias da EGF, estão a apostar em novas formas de dar visibilidade ao trabalho essencial que fazem todos os dias de tratar e valorizar os resíduos que todos os cidadãos produzem, dando visibilidade às consequências dos maus comportamentos, mas também às soluções que existem para os evitar. 

 

A poluição dos oceanos é uma consequência da atividade humana que é urgente contrariar, e a solução passa por ter, em terra e no mar, comportamentos adequados e um sistema de tratamento e valorização de resíduos que seja eficaz e sustentável.

 

SESSÕES PRESENCIAIS E LIVE STREAM

As sessões têm início a 4 de julho, pelas 16h, na Academia de Ciências de Lisboa, às quais se pode assistir presencialmente e de forma gratuita, mas também em LiveStream em www.ccoceanos.pt

 

A primeira sessão conta com o seguinte programa:

 

Mergulhando na Problemática da Pesca Fantasma

Jéssica Link: biológa, instrutora de mergulho e pesquisadora na área de conservação marinha - Universidade Federal de Santa Catarina.

 

A diversidade do pescado em Portugal e suas possibilidades gastronómicas

Chef Luis Baena: Um dos poucos chef´s portugueses a ter trabalhado com Paul Bocuse e a somar 32 anos de carreira em quatro continentes (inclusive no Brasil). Pioneiro no seu empenho em projetos inovadores e promoção dos produtos tradicionais dos Açores.

 

Valorizar os Resíduos em terra para proteger o Mar

Ana Loureiro:  Diretora de Comunicação da EGF, Global Environment Facilities (empresa de referência no setor ambiental a nível europeu e líder em Portugal na valorização dos resíduos urbanos.

 

Os muitos perfis das ondas gigantes

Garrett McNamara: Surfista de ondas gigantes, recordista mundial na praia da Nazaré.

 

As próximas sessões estão agendadas para os dias 4, 11, 18 e 25 de julho – o programa das sessões será apresentado no website www.ccoceanos.pt

 

Centro de Comunicação dos Oceanos

O Centro de Comunicação dos Oceanos é um projeto de Nysse Arruda, jornalista e curadora, especialista em temas náuticos há mais de 20 anos em Portugal, autora de várias publicações e premiada em 2016 pelo Prémio Femina. Iniciou este projeto para promover o debate das questões essenciais associadas ao Mar, e obteve o apoio institucional de diversas instituições, com destaque para a Presidência da República, o Ministério do Mar, Ministério do Ambiente, Câmara Municipal de Lisboa, Instituto Hidrográfico, Academia das Ciências de Lisboa, IPMA e da Unesco-Portugal.

Este projeto conta ainda como padrinhos os velejadores olímpicos João Rodrigues e Joana Pratas, mas também com o velejador brasileiro Torben Grael, o surfista Garret McNamara e a ONG Americana Marine MegaFauna Mozambique.

 

Para mais informações: Ana Loureiro | 968601711 | ana.loureiro@egf.pt

6ª Edição Concurso V.D.V.R. 02/07/2018

A 6ª Edição do concurso escolar “Vamos dar Vida aos Resíduos”, ano letivo de 2017/2018, promovido pelo Sistema Multimunicipal Algar, S.A., chegou ao fim e já tem vencedor, a Escola Básica 2,3 Poeta Emiliano da Costa (Estoi).

 

O concurso contou com a adesão de 42 escolas abrangendo uma população de 21.000 alunos. Durante 5 meses “Brigadas da Reciclagem” participaram em ações de sensibilização, fiscalizaram os resíduos produzidos em recinto escolar e elaboraram planos para garantirem que os resíduos, desde a sua origem até ao destino final, recebiam tratamento adequado à sua valorização.

 

Com estas iniciativas melhoraram-se processos de contentorização e sinalização existentes nos espaços escolares, permitindo uma separação/deposição dos recicláveis  mais eficaz. O resultado do trabalho final foi fantástico, contabilizaram-se 118 829 kg de resíduos recicláveis corretamente encaminhados pelas 42 escolas, com destino à valorização.

 

Também as áreas residenciais circundantes às escolas foram envolvidas neste processo, aderindo às campanhas de sensibilização promovidas pelos alunos com a colaboração da Algar para a recolha dos resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE).

 

A execução dos Planos de Gestão dos Resíduos criados pelas Escolas contaram com o apoio da Algar através da entrega de um total de 450 equipamentos, nomeadamente, ecobags para a deposição seletiva nas salas de aula; contentores específicos para a colocação dos resíduos elétricos e eletrónicos e pilhões para a deposição de pilhas e acumuladores.

 

A Escola Básica 2,3 Poeta Emiliano da Costa destacou-se nesta 6ª edição do concurso apresentando o melhor resultado no “Ranking de Resíduos Recicláveis Recolhidos” com um total de 11 520 kg de resíduos, tendo recebido um computador de última geração como reconhecimento pelo mérito alcançado.

 

A Algar sorteou ainda um Tablet entre os alunos que fizeram parte da equipa “Brigada da Reciclagem”, impulsionadores de várias campanhas de sensibilização realizadas dentro e fora da escola. Todos os participantes receberam Ecobags para separarem os recicláveis nas suas casas e dessa forma continuarem com o bom trabalho desenvolvido ao longo de todo o ano letivo.

 

A professora Maria Conceição da Graça, que acompanhou a implementação do projeto na escola vencedora, partilhou com a Algar: «De facto, o concurso "Vamos dar vida aos resíduos" que a nossa escola Poeta Emiliano da Costa abraça, pelo 3° ano consecutivo, tem contribuído largamente para sensibilizar toda a comunidade escolar para a importância da separação dos resíduos.

O trabalho desenvolvido na escola com os alunos repercutiu-se nas suas famílias que se envolveram com afinco nesta causa.

De salientar que projetos como este dão vida a uma escola, pois professores, alunos e funcionários, unem-se em prol de um projeto comum.»

 

A Algar pretende continuar a promover este género de iniciativas, pelo que no próximo ano letivo o projeto irá voltar trazendo novidades.«A produção de resíduos é uma preocupação crescente e é nossa responsabilidade garantirmos que os resíduos recicláveis produzidos sejam na sua totalidade encaminhados para reciclagem, de modo a minimizarmos o impacte ambiental na região.

 

O objetivo destas iniciativas será sempre continuarmos a passar a mensagem de que as boas práticas ambientais desenvolvidas poderão trazer inúmeros benefícios no que respeita à qualidade de vida, não só do espaço escolar mas também de toda a comunidade e ainda contribuir para a formação pessoal destes alunos, que serão os futuros agentes de mudança da sociedade.» - diz Telma Robim, Administradora Executiva da Algar.

Campanha RECICLA+ #2KgporPortugal. 20/04/2018

A Algar aumenta o número de ecopontos no Algarve e lança a campanha RECICLA+ #2KgporPortugal. A iniciativa promove um concurso de fotografia onde os participantes podem ganhar bilhetes para festivais de música este Verão.

O concurso de fotografia RECICLA + #2KgporPortugal convida a população a descobrir a localização dos novos ecopontos instalados nas suas áreas de residência, a tirar fotografias, com familiares ou amigos, junto dos mesmos, alusivas à correta utilização dos equipamentos.

Se todos separarem 2 Kg de recicláveis por semana e os colocarem nos ecopontos, estarão a contribuir para que se atinja as metas da reciclagem do nosso país.

Para participar no concurso, basta submeter as fotografias através da aplicação disponível no facebook da Algar e divulgar para que todos possam votar (o regulamento do concurso está disponível em http://bit.ly/recicla-mais).

A Algar para além do concurso de fotografia, vai ainda, no âmbito da campanha RECICLA+ #2KgporPortugal, oferecer Kits de Reciclagem para ajudar a separar as embalagens em casa. Os interessado deverão enviar o seu pedido para o endereço de email gci@algar.com.pt . Será entregue um kit de reciclagem por cada pedido realizado, limitado ao stock existente de 500 Kits de reciclagem.

Algar alarga a rede de ecopontos no Algarve

A ALGAR, S.A., empresa certificada e responsável pela valorização e tratamento de resíduos sólidos no Algarve, faz investimento de 1 415 mil EUR (um milhão, quatrocentos e quinze mil euros) na aquisição de ecopontos. Trata-se de um projeto muito significativo para a região, cofinanciado pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão.

 

Segundo a Administradora Executiva da empresa Telma Robim «A Algar com este projeto está a melhorar o serviço prestado. A intervenção vai chegar a locais ainda não abrangidos, aumentando a capacidade de armazenamento dos resíduos recicláveis, a acessibilidade à recolha seletiva e a qualidade ambiental da vida das pessoas.»

 

A empresa adquiriu 781 ecopontos que está a permitir um crescimento de 7 827m3 na capacidade de deposição, o correspondente a um aumento de cerca de 30% no número de contentores disponibilizados à população algarvia.

 

A acessibilidade aos novos equipamentos tem vindo a ser realizada em colaboração com os Municípios, de forma faseada em todos os concelhos da região, em locais onde se verifica uma maior produção de embalagens.

 

Com a instalação destes equipamentos, os 16 municípios do Algarve vão poder contar com uma rede de cerca de 3 500 ecopontos, o que se traduz no rácio de um ecoponto por cada 126 habitantes. «O Algarve tem cada vez mais população flutuante e na Algar estamos a dar resposta às necessidades dos cidadãos, no serviço da recolha seletiva. A ALGAR dispõe ainda de um sistema informático que permite fazer o registo e cálculo dos locais de maior produção de recicláveis, garantido dessa forma uma melhor gestão e a recolha atempada dos materiais depositados nestes equipamentos.» diz Telma Robim

 

O processo de reciclagem associado a uma correta separação, deposição e recolha de resíduos,   apresenta-se como um procedimento indispensável a nível ambiental, na medida em que contribui para a redução do consumo de matérias-primas, água e energia, assim como para a diminuição da poluição e da quantidade de resíduos a depositar em aterro sanitário.

 

Sabia que em 2017, a ALGAR ao encaminhar para reciclagem:

  • 601 toneladas de papel/cartão, colaborou para manter vivas 189.015 árvores?
  • 295 toneladas de PET, contribuiu para a produção de fibra suficiente destinada à confeção de 1.593.846 camisolas polares?
  • 039 toneladas de vidro, contribuiu para o fabrico de 37.597.500 novas garrafas de vidro?

 Lembre-se que nos ecopontos apenas se deve colocar resíduos de embalagem. No contentor Amarelo - as embalagens de plástico, metal e cartão para alimentos líquidos, no contentor Verde – as embalagens de vidro e no contentor Azul – papel escrita e embalagens de papel e cartão. O seu ecoponto está a contar consigo!

Algar participa em projeto "inovador" de educação ambiental. 10/03/2018

O projeto resultou de um trabalho conjunto des algumas empresas, entre elas a Algar - (empresa responsável pela valorização e tratamento dos resíduos sólidos urbanos produzidos nos 16 municípios algarvios), tendo contado com o apoio do Fundo Ambiental e da Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020. 

 

Segundo revelou a Algar em nota enviada à imprensa, as primeiras sessões deste projeto aconteceram em Amarante, nos dias 8 e 9 de março com mais de 500 estudantes da Escola Básica do Marão, Colégio de S. Gonçalo e Escola Secundária de Amarante.

 

Nas sessões iniciais esteve presente o Secretário de Estado da Educação, João Costa, e a Adjunta do Secretário de Estado do Ambiente, Cátia Rosas, para além de representantes de várias entidades públicas e associações.

 

As temáticas de redução, reutilização e reciclagem são desta forma abordadas de forma inovadora, utilizando como recursos planetários itinerantes e 3 filmes projetados em 360º, o que possibilita uma dinâmica interativa com os alunos e participantes. 

 

Os filmes contam a história de 2 irmãos, a Guida e o Rui, em versões adaptadas a várias idades, e que, consoante o filme que vão ver, desenvolvem uma ação que vai alertar e explicar o porquê de reduzir, reutilizar e reciclar os resíduos demésticos.

 

Este projeto iniciará em breve um ciclo de apresentações em vários eventos, iniciativas e escolas dos vários ciclos de ensino. A agenda desta iniciativa será disponibilizada em breve, e poderá ser consultada no website da EGF.

ALGAR renova certificações 19 DEZEMBRO 2017

A Algar, S.A., empresa responsável pela valorização e tratamento dos resíduos sólidos urbanos produzidos nos 16 municípios algarvios, renovou a certificação do Sistema Integrado de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança implementado, com transição para os novos referenciais normativos NP EN ISO 9001:2015 (Qualidade) e NP EN ISO 141001 de 2015 (Ambiente).

 

Segundo a Administradora Delegada da Algar, Telma Robim, “a empresa foi auditada entre os dias 21 e 24 de novembro de 2017, tendo sido considerado pela entidade certificadora, APCER, que se encontravam reunidas as condições necessárias à Transição do Sistema Integrado de Gestão, implementado em todas as unidades administrativas, de suporte e operacionais, nomeadamente: a atividade de Recolha Seletiva; 2 Aterros Sanitários; 8 Estações de Transferência; 13 Ecocentros; 2 Estações de Triagem; 3 Unidades de Valorização Energética do Biogás; 3 Unidades de Compostagem de Resíduos Verdes; 3 Unidades de Tratamento de Lixiviados e 1 Central de Valorização Orgânica. Todas as instalações e atividades da empresa mantêm-se certificadas, deixando-nos muito satisfeitos”.

 

A confirmação da manutenção/transição da certificação vem reconhecer que a gestão do sistema multimunicipal de recolha seletiva, transferência de resíduos, triagem e tratamento de resíduos sólidos da Algar, é efetuada com respeito por elevados padrões de qualidade dos serviços prestados, sobretudo quando se fala no tratamento de cerca de 400.000 toneladas de resíduos urbanos/ano.

 

De entre as inúmeras vantagens internas e externas inerentes ao Sistema Integrado de Gestão da Algar, salienta-se a adoção dos príncipios de prevenção da poluição, bem como da redução da utilização recursos e da aplicação das medidas compensatórias nas opções técnicas e organizacionais, com vista à minimização de impactes ambientais, o reforço da formação e a satisfação dos colaboradores, clientes, partes interessadas e sociedade de uma forma geral. No âmbito da Segurança, a Algar previne o risco de acidentes, de doenças profissionais e garante um ambiente de trabalho seguro e saudável, em todos os setores da empresa.

 

Telma Robim acrescenta: “ A Algar tem o Sistema de Gestão certificado em:

     Qualidade para melhor o servir,

     Ambiente para um Algarve mais sustentável,

     Segurança para a proteção dos seus colaboradores,

 

reforçando assim, o compromisso de melhoria contínua da eficácia do Sistema Multimunicipal, e o seu contributo para o desenvolvimento sustentável da região do Algarve.

ALGAR - Hora da Troca 18 NOVEMBRO 2017

A Semana Europeia da Prevenção de Resíduos (SEPR), iniciou este ano em 18 de novembro e vai estender-se até 26 de Novembro. A iniciativa já vai na 9ª edição e conta com um conjunto de iniciativas que se realizam por toda a Europa, desde concursos, a conferências, exposições, trabalhos artísticos, ações de rua, feiras e apresentações para alertar os consumidores, trabalhadores, estudantes e outros grupos para a necessidade de reduzir os milhões de toneladas de resíduos que fazemos todos os anos. A SEPR tem vindo a reunir cada vez mais adeptos em torno das questões da prevenção de resíduos.

A ALGAR, empresa responsável pela valorização e tratamento de resíduos sólidos no Algarve, associa-se a esta iniciativa desde sempre. Este ano a empresa incentiva as Escolas da região a organizarem feiras de troca de objetos, que poderão intitular-se “Hora da Troca”. O objetivo é promover a troca direta de objetos tais como CD’s, livros, brinquedos ou outros materiais, que ainda estão em condições de serem utilizados por outras pessoas. Esta ação visa sobretudo, aumentar o ciclo de vida útil dos objetos e alertar os alunos para a importância de evitar o desperdício dos materiais, contribuindo dessa forma para a redução da deposição dos resíduos em aterro. 

Ainda no âmbito da SEPR, a ALGAR vai realizar uma campanha de angariação de brinquedos usados, nas 14 instalações da empresa (www.algar.com.pt), para entrega às famílias carenciadas do Algarve, apoiadas pela ENTRAJUDA (Apoio a Instituições de Solidariedade Social).

A SEPR tem-se revelado uma iniciativa de grande importância no desenvolvimento da consciencialização sobre a estratégia de prevenção de resíduos e na promoção das boas práticas de prevenção.

Natal mais verde é com Nutriverde®. 15 DEZEMBRO 2017

Chegámos a mais uma quadra festiva e como não poderia deixar de ser a ALGAR e o Nutriverde estão preparados para desejar as Boas Festas e promover mais uma ação Verde!

 

A partir do dia 18 de dezembro, todas as instalações da ALGAR vão ter hortícolas e amostras do composto NUTRIVERDE® para oferecer a quem se deslocar às suas instalações para entregar resíduos.

 

O objetivo é convidar os algarvios a cultivarem uma horta. Para além de despertar o interesse para a alimentação saudável traz ainda vantagens económicas ao proporcionar legumes mais baratos e saborosos.

 

Composto Orgânico da ALGAR lado a lado com a Agricultura

O NUTRIVERDE® é produzido pela ALGAR a partir de resíduos verdes. A sua excelente qualidade, promove maiores produções em culturas agrícolas.

 

Trata-se de um composto orgânico 100% natural que, para além de não ser agressivo e poluente para a natureza, traz inúmeros benefícios ao solo, pois combate a erosão e melhora as suas propriedades físicas, químicas e biológicas.

 

O NUTRIVERDE® pode ser adquirido nas instalações da ALGAR, durante o horário de funcionamento das mesmas. A empresa possui 3 Unidades de Compostagem de Verdes em funcionamento, em Portimão, São Brás de Alportel e Tavira. As entregas do NUTRIVERDE® podem ser efetuadas pela ALGAR, mediante condições a acertar com o cliente.

 

Atualmente a venda do NUTRIVERDE® e do NUTRIVERDE PREMIUM® é efetuada a granel e em big bag (embalagem com cerca de 800 kg). Para saber mais sobre o NUTRIVERDE® consulte o site www.nutriverde.PT.