Tratamento Mecânico e Biológico

Os resíduos orgânicos constituem a maior parte dos resíduos produzidos pela população, com um potencial de valorização elevado, tanto na produção de energia como de composto para a agricultura. 

 

Unidade de Compostagem de Resíduos Verdes

A Algar tem em funcionamento 3 Unidades de Compostagem de Resíduos Verdes (Tavira, Portimão e São Brás de Alportel), onde receciona estes resíduos provenientes de atividades agrícolas ou de jardinagem (ramagens, restos de relva, outros) para serem tratados e transformados num composto orgânico, designado por NUTRIVERDE®, comercializado nas suas instalações. Além do Nutriverde®, a Algar também produz e comercializa mais dois produtos a partir dos resíduos Verdes, o Nutriverde Premiu® (com aplicação em relvados) e o Nutriverde Decor® (utilizado na decoração de espaços exteriores, canteiros e vasos).

  

Central de Valorização Orgânica

A Central de Valorização Orgânica (CVO) da Algar, localizada em São Brás de Alportel, no “Parque Ambiental da Alfarrobeira”, tem capacidade para tratar 35.000 toneladas de resíduos por ano.   Nesta instalação o processo de tratamento dos resíduos rececionados resulta em dois subprodutos: o biogás (que depois é transformado em energia elétrica) e o composto orgânico (que pode ser usado na agricultura e na jardinagem).

 

A CVO permite tratar e valorizar os resíduos orgânicos e biodegradáveis desviando-os da sua deposição em aterro, dessa forma recupera materiais recicláveis depositados indevidamente com os resíduos indiferenciados, produz energia elétrica a partir do biogás e ainda um composto orgânico para a valorização dos solos (o NUTRITERRA), reduzindo as emissões de CO2 (dióxido de carbono) e GEE´s (gases com efeito de estufa).

 

Unidade de Tratamento Mecânico

A Unidade de Tratamento Mecânico (UTM) existente no Aterro Sanitário do Barlavento permite fazer a separação entre os resíduos inorgânicos e orgânicos. A parte orgânica dos resíduos pode ser encaminhada para a Central de Valorização Orgânica para valorização como composto agrícola (NUTRITERRA). A tecnologia existente na UTM, permite ainda configurar a sua funcionalidade para a recuperação de elementos individuais dos resíduos ou ainda para a produção de combustíveis derivados, que podem ser utilizados para gerar energia.

Os materiais possíveis de serem recuperados na UTM, são: metal, plástico, vidro e os resíduos biológicos. Os resíduos provenientes da UTM, que não podem ser valorizados nem reintroduzidos no ciclo produtivo, são depositados de forma controlada em Aterro Sanitário.